terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A origem da coxinha e outras histórias

Ao se sentar em um balcão de boteco e saborear uma coxinha você já se perguntou como essa maravilha foi inventada? O que? Não gosta de coxinha? Nem de boteco? Então cai fora escória, esse blog não é lugar de gente escrota. Para as pessoas de bem que apreciam essa incrível conquista da cozinha popular brasileira, descubra aqui a reposta desse e de outros mistérios como...

Esfiha: muito mais brasileira do que você pensa.


Seja na versão fechada ou aberta, a esfiha é junto com o kibe o mais popular petisco árabe do Brasil.

E também uma das maiores causas de azia.

Mas você sabia que é muito difícil encontrá-la em terras estrangeiras, inclusive no Líbano, país onde supostamente ela foi criada? Vá em frente, e procure esfihas num restaurante em Beirute. Você vai acabar comendo uma porção de batatas fritas. Qual o motivo disso?

A esfiha era uma receita caseira trazida por imigrantes libaneses ao Brasil no começo do século XX. A comida acabou se popularizando por aqui e ganhando variações de receitas e recheios e por fim se tornando item básico de cantinas escolares, redes de fast food e laricas. Em sua terra natal a esfiha não se popularizou a ponto de ser comercializada em larga escala e permaneceu como uma receita tradicional cozinhada por vovós em vilarejos.

O pão de queijo é a história de Minas Gerais

O magnífico Estado de Minas Gerais deu grandes contribuições para nossa nação, como a poesia de Carlos Drummond de Andrade, a música do Clube da Esquina e o futebol de Pelé.

Entre outras coisas

Mas nenhum desses feitos representa a história mineira tão iconicamente como o pão de queijo. Cada detalhe de sua concepção e popularização tem paralelo com um período histórico do Estado. Sua origem remonta entre os séculos XVIII e XIX. A goma de mandioca (polvilho) que era a um item básico da alimentação dos índios acabou sendo adotada em receitas de pães das fazendas locais. O ovo e o leite, itens introduzidos na região pelos portugueses, existiam em abundância durante a expansão da pecuária da então província. As cozinheiras escravas obrigadas a se virar com esses ingredientes tiveram um arroubo de genialidade e criaram o pão de queijo.

A partir do século XX, com o crescimento urbano e a industrialização, esse salgado deixou de ser apenas uma receita caseira e começou a ser comercializado, até se popularizar por todo o país na década de 60. Lembre-se de tudo isso na próxima vez que você comer um pão de queijo. É história que você estará mordendo.

Um príncipe (possivelmente retardado) inventa a coxinha

Ok, isso é muito mais uma lenda do que um fato, mas provavelmente a história real não deve ser tão interessante. No final do século XIX vivia na Fazenda do Morro Azul, na cidade de Limeira, o filho da Princesa Isabel e do Conde D’Eu. Numa atitude epicamente escrota da família real, essa criança era mantida afastada da corte por ser considerado deficiente mental. Mas qual era a doença que acometia esse pobre menino perdido? Ninguém sabe, mas aparentemente envolvia ser tarado por coxa de galinha, pois era só isso que ele comia.

O nosso pequeno príncipe causou um verdadeiro holocausto galináceo na fazenda, exigindo comer nada além dessa parte especifica do bicho. Asas e peito eram descartados por ele.

Um dia não havia mais coxas suficientes para uma refeição e o moleque não parava de chorar. A cozinheira resolveu então transformar uma galinha inteira em coxa, moldando massa em um formato parecido e utilizando as demais partes da ave pra fazer o recheio. O pentelho provou e adorou. Logo os demais empregados também comeram e aprovaram. Por fim até a Princesa Isabel se deliciou com a invenção e pediu que sua receita fosse fornecida aos cozinheiros da Corte. É isso mesmo, a mesma pessoa que assinou a Lei Áurea também pode ter introduzido a coxinha no Brasil. Isso sim é uma heroína nacional.

E esse cara que ganha feriado

A empadinha...

Não descobri nada de muito interessante sobre as empadas. Apenas que são mini-tortas que as pessoas comiam na época da quaresma. E que são deliciosas.

E os enroladinhos também

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O destino de coadjuvantes sem graça dos Trapalhões

Quando eu estava na 4° série, o trabalho final de Educação Artística foi representar um programa de TV na frente da sala. Eu e meu grupo logicamente escolhemos o melhor de todos os tempos: “Os Trapalhões”. Tivemos que sortear os papéis porque todo mundo queria interpretar Didi ou o Mussum (exceto um moleque, mas ele era meio racista). Por azar eu acabei ficando com um personagem coadjuvante. Não um coadjuvante legal, como Tião Macalé ou o Sargento Pincel, mas um sem graça que quase não tinha falas. Nós tiramos um B e essa foi a única experiência como ator na minha vida.

Não tiraram foto da peça, então vai essa da minha primeira comunhão

Relembrando essa história, refleti a respeito das dezenas de atores que figuraram nos programas e filmes da trupe de Renato Aragão e pensei em escrever a respeito deles. Alguns importantes como Carlos Kurt, que chegou a participar de um filme do James Bond, outros nem tanto, como Duda Little e o grupo Dominó. Mas em meio a todas as histórias que pesquisei nenhuma me fascinou tanto como a saga de Andréia Sorvetão e Conrado.

Quem?

Se você tem menos de 20 anos, você não deve saber que existiu um período chamado “Final da Década de Oitenta/ Início da de Noventa”, também conhecido como “Era de Ouro do Sabadão Sertanejo”. Era uma época divertida, mas um tanto quanto brega. Em meio a cores berrantes e ombreiras surgiram as Paquitas, assistentes de palco do Xou da Xuxa que abasteciam a sede de ninfetas do homem brasileiro. Uma deles era Andréia Sorvetão.

Mais ou menos na mesma época, o cantor Conrado começou a fazer sucesso. Ele fazia o tipo ídolo teen, cara de bobo, música melosa e calças apertadas. Descoberto por Gugu, ele foi emplacou alguns hits. Aqui uma amostra da música dele.


O que faziam nos Trapalhões?

Conrado apareceu pela primeira vez ao lado de Didi e companhia no filme “Os Trapalhões na Terra dos Monstros” de 1989. No ano seguinte, após a morte de Zacarias, ele passou a integrar o elenco do programa. Conrado servia de escada pros outros comediantes, supostamente interpretando ele mesmo, um bonitão que pegava a mulherada geral.



Nessa mesma fase do programa Andréia Sorvetão atuava como coadjuvante nos quadros. Em 1992 ela ganhou mais destaque interpretando a secretária da Agência Trapa.



Em algum momento nesse período eles começaram a namorar e acabaram se casando. Eu não sabia da existência desse casal até dias atrás e essa foi uma das informações mais impactantes que eu já recebi. Talvez eu esteja exagerando, mas o fato de duas caricaturas vivas do meu inconsciente infantil desaparecerem em um limbo de esquecimento e ressurgirem duas décadas depois casados e com filhos foi tão chocante quanto descobrir que a Gretchen é irmã da Sula Miranda.

Isso ainda me deixa atônito

O que eles fizeram depois?

Em 1994, a tragédia abate a nação com a morte de Mussum. Os dois trapalhões remanescentes reformulam o programa, que não duraria muito mais, e o casal deixa a atração.

No mesmo ano Sorvetão pousa pra Playboy. Na minha visão o ensaio não faz muito jus aos atributos dela. A partir daqui as coisas começam a ficar nebulosas pra mim e começa o período de “eu não lembro de porra nenhuma que eles fizeram”. Isso aqui foi o que eu descobri pesquisando:

- Em 1995 Conrado gravou um álbum que foi produzido por Leandro, da dupla Leandro & Leonardo, e voltou as paradas com a música “Quero você” (???)

- Andréia Sorvetão apresentou alguns programas infantis, participou da novela “Malhação” e co-apresentou o programada da Xuxa enquanto a rainha dos baixinhos estava grávida.

- Após realizar um álbum em Portugal, Conrado tem uma música de sua autoria gravada por Leandro & Leonardo no último disco da dupla. Andréia Sorvetão participa de um álbum da Xuxa.

É... tudo isso é muito bom pra eles, mas agora é quem vem as informações mais interessantes. Em 2002 o casal posa nu no mesmo mês para duas revistas diferentes. Ela na Sexy, ele na G Magazine. Dessa vez o ensaio faz jus aos atributos físicos de Sorvetão. Eu não posso dizer nada sobre o de Conrado, já que eu não o vi, mas digo que a frase CONRADO POSOU PRA REVISTA G me deixa pasmo.

Mas não tanto quanto isso, puta merda

E agora chegamos a uma encruzilhada que toda celebridade do passado deve passar. Se converter ao reino da pornografia ou ceder a saída fácil do sucesso no mundo gospel?

E o caminho escolhido foi...

Ex-paquita e esposo sucumbiram a tentação da música gospel. Hoje eles cantam, louvam e pregam a palavra do Senhor vivem vidas saudáveis e felizes. E por mais clichê e medíocre que isso seja, esse destino meio que me reconforta, porque mostra que o mundo tem lugar até mesmo para coadjuvantes sem graça dos Trapalhões, como eu fui um dia. Amém.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

O que eu aprendi com inspiradores PowerPoints cristãos

Quando Deus em sua infinita sabedoria criou a internet, ele nos deu o livre arbítrio para que escolhêssemos a melhor forma de utilizá-la. Enquanto a maioria das pessoas escolheu o caminho da pirataria, desenhos pornográficos e de emitir suas inúteis opiniões em sites de notícias, as nossas mães optaram por algo mais singelo.

Inicialmente elas apenas utilizavam a rede mundial para copiar receitas do site da Ana Maria Braga, mas logo encontraram sua verdadeira paixão: correntes de PowerPoint com mensagens inspiradoras. É um fato estatístico que para cada adolescente batendo bronha vendo um site de putaria, há uma mulher de meia-idade entretida diante de slides que tratam de auto-ajuda, animais fofinhos e Jesus Cristo. E é sobre o ultimo tema que irei tratar.

Após alguns meses de desemprego e perdição, eu comecei a me perguntar o que estava errado em minha vida. Em uma madrugada de tédio e agonia encontrei alguns desses slides de PowerPoint na minha área de trabalho, provavelmente baixados pela minha mãe. Ou talvez colocados ali pelo próprio Senhor, buscando me guiar para a iluminação. Então eu resolvi abrir minha mente e tentar apreender.

Com Deus não se brinca!



Resumo: Um monte de gente que zuou, duvidou e causou com Deus se fudendo grandão. Entre os notáveis estão John Lennon, Tancredo Neves, Cazuza e uma galera que curtia aloprar no trânsito com uma dúzia e meia de ovos no porta-malas.

O que eu aprendi? Que Deus não sabe brincar.

Eu não sei exatamente se ele sofre algum tipo de autismo, ou se o lance de reinar absoluto sobre o universo subiu a cabeça, mas Deus não tolera piadinhas, é incapaz de detectar ironia numa fala humana e jamais leva desaforo pra casa, nem que isso custe a vida de um bando de gente.

Ou a presidência de um país

Então devemos tratar Deus como aquele moleque bobão que era maior que todo mundo no playground: com cuidado, sensibilidade e sem muitos movimentos bruscos. Também aprendi que John Lennon foi executado segundos depois de dizer que os Beatles eram maior que Cristo, e não anos depois.

Você sabia que Deus gosta de “loucos”?



Resumo: Apresenta diversos exemplos de pessoas que desafiaram a lógica humana para fazer valer a vontade de Deus. Entre eles Moisés, Josué e Jesus.

O que eu aprendi? Que toda uma religião foi criada baseada em delírios e insanidade.

Aparentemente a fé é uma forma de transtorno psicológico que nos faz falar com objetos inanimados, sofrer alucinações e cantar e dançar durante dias. Tipo um ecstasy.

A maior rave de Israel!

Obviamente por ser em si um argumento ilógico e sem fundamentos, Deus aprecia este tipo de comportamento em humanos. Então se um dia você sentir que está perdendo a cabeça e aquele pôster do Corinthians campeão da Copa do Brasil 95 começar a falar com você, não se preocupe, você está no caminho certo para a redenção.

As três árvores



Resumo: Três pequenas árvores sonham em ser um dia transformadas em: a) um baú cheio de jóias b) um navio c) virar uma puta árvore. Elas acabam virando: a) um cocho de animais (onde Jesus nasceu) b) uma barquinho de pesca (onde Jesus trampou) c) uma cruz (adivinha qual?)

O que eu aprendi? Er... que seus sonhos se realizam mesmo depois que você foi morto e mutilado... e que isso talvez envolva um judeu morto pregado em você.

Confesso que esse me deixou um pouco confuso. Mas acho que a mensagem é que se você fracassar em vida, seus restos mortais irão seguir em frente e realizar suas bizarras fantasias de infância.

Fizeram até um filme a respeito

E mesmo que as coisas não saiam exatamente como o planejado, há sempre uma forma de distorcer a história a ponto de parecer que tudo acabou bem. Certo?

O Tempo de Deus



Resumo: Um nadador prestes a mergulhar de um trampolim se distrai com a própria sombra, começa a pensar em Jesus e percebe que estava prestes a cair em uma piscina vazia.

O que eu aprendi? ?????????

Esse parece conter uma daquelas mensagens ocultas de código bíblico que só teólogos conseguem decifrar. Além disso, eu me distraí pelos magníficos efeitos de transição e planos de fundo dos slides. Mas acho que a mensagem é que Cristo morreu para que nós não mais cometêssemos atos tão retardados como intolerância, violência e pular em piscinas vazias.

"Pelo amor de Deus, secador de cabelo no chuveiro não né gente?"

Então em linhas gerais o que eu aprendi nesta catequese virtual foi: Deus não tem senso de humor, é totalmente a favor de doidos e nossos sonhos sempre se realizam, nem que pra isso precisemos nos tornar zumbis mutilados. E a não mergulhar em piscinas sem água, puta que pariu.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Momentos bizarros em novelas dos anos 90

Houve uma época em que crianças não desperdiçavam seus dias na internet, falando merda no MSN, praticando bullying virtual no Orkut e se exibindo para pedófilos na twittcam. Elas desperdiçavam seus dias na frente da TV, vendo Xuxa, Sessão da Tarde e novelas. Não era tão ruim. Eu tenho boas lembranças daqueles tempos. Personagens marcantes como Tonha da Lua, Dona Armênia e seus três filhos, Gino, Gerson e Gera; minha avó falando com os atores como se eles pudessem ouvi-la através da televisão; e é claro a maior história de amor de todos os tempos, entre o mecânico Raí e a manicure Babalu.


Mas além desses bons momentos, houveram estranhas preciosidades que só poderiam ser oferecidas pela teledramaturgia brasileira. Momentos bizarros que ainda me perseguem após anos de saudável distância da televisão aberta.

Flor alucinógena faz Fabio Junior te comer

Novela: Pedra sobre Pedra (1992)

Bem óbvio, mas não poderia ficar de fora. Na pequena cidade de Resplendor, o fotógrafo Jorge Tadeu, interpretado por Fábio Junior, se divide em duas atividades: comer todas as mulheres possíveis e urinar em uma planta na praça da cidade. Isso até alguém matar o sujeito. A morte de Jorge Tadeu se torna o grande mistério do país de Fernando Collor. Afinal quem era o assassino? Algum corno provavelmente.

Na verdade, foi essa senhora


O absurdo entra em cena quando a plantinha regada diariamente pela urina do fotógrafo se torna uma enorme árvore carregada de flores após ser atingida por um raio. Muito para o desgosto dos homens da cidade, as viúvas de Tadeu formam um culto ao redor da árvore. Então uma delas tem a idéia de comer uma flor e recebe a visita de falecido. Então é claro, ocorre necrofilia espírita no horário nobre.


Eu não lembro exatamente como a história terminou, mas acho que outro raio atinge a árvore e destrói ela, ou algo assim. Então pra compensar, assistam a essa cena epicamente bizarra da mesma novela, aonde o vilão Cândido Alegria fala com o diabo, explode e vira pedra.



Eri Johnson gótico idolatra um pedaço de pão

Novela: De Corpo e Alma (1992/93)

Todo mundo se lembra dessa novela por causa do assassinato de Daniela Perez por Guilherme de Pádua. Isso meio que eclipsou da memória das pessoas do que porra a trama era a respeito. Pois estou aqui para lembrar a todos que era sobre Victor Fasano rebolando de sunga num clube de mulheres e Eri Johnson sendo muito estranho.

A autora Glória Perez é famosa por levar temas e polêmicas atuais para as tramas de suas novelas. E por atuais eu quero dizer com ao menos uma geração atraso. Ela misturou islamismo e clonagem em “O Clone” e internet e ciganos em “Explode Coração”. Aqui o lance é transplante de órgãos, góticos e Victor Fasano rebolando de sunga.

Eri Johnson era Reginaldo, um filhinho de mamãe que resolve pintar a parede do quarto de preto. Ele era apaixonado por Yasmim, personagem de Daniela Perez. Era uma relação um pouco perturbadora, como é ilustrada pelo vídeo abaixo.



Um momento marcante é quando Reginaldo rouba o resto de um pão que Yasmim comeu e guarda como uma relíquia. Ele passa dias trancado em seu quarto negro, idolatrando aquele pedaço de comida velha. Pelo tom da novela, essa paixão era algo romântico e bonitinho. E não um lance doentio que poderia, sei lá, acabar em assassinato.


Osmar Prado apalpa bosta de galinha (por culpa de Antonio Fagundes)


Novela: Renascer (1993)


Originalmente a lâmpada do gênio é uma lenda um pouco diferente do que é retratada pelos desenhos da Disney. Ao invés de um sujeito azul e camarada, existia um demônio aprisionado em uma garrafa, escravizado por quem a possuir. Existem lendas semelhantes a essa fora do folclore árabe, inclusive no Brasil. Isso aparece na novela Renascer (aquela que tinha uma hermafrodita). Na trama, boatos atribuem o suposto corpo fechado do personagem de Antônio Fagundes, José Inocêncio, a um capetinha engarrafado. Eu cagava de medo toda vez que aquele treco aparecia.




Tião Galinha (Osmar Prado) interessado em possuir os mesmos poderes, pergunta a Inocêncio como arrumar uma parada dessas. A receita que ele passa é: colher um ovo de galinha preta no momento em que ela botar, sem deixar que ele toque o chão. O ovo deve ser chocado por um sapo e dele nascerá o capetinha. O lance é que Inocêncio comprou a garrafinha com o demônio de plástico na feirinha e só diz essas merdas pra causar com Tião. O que ele não imaginava é que o cara seria ingênuo a ponto de ficar dia e noite com uma galinha preta debaixo do braço a espera do ovo, pondo em risco seu emprego, casa e casamento.


Burrão. Todo mundo sabe que o truque é enfiar um facão no pé de jequitibá

Após zoar com Tião por uns tempos, a galera começa ficar a preocupada com a sanidade mental do caboclo, até que alguém sugere que ele caiu numa pegadinha de Inocêncio. Ah, mas essa cabra fica uma fera! Irado, ele exige satisfações. O personagem de Fagundes escapa da situação colocando um ovo debaixo da galinha preta, sem que Tião visse, afirmando que ela acabara de botar. Tião lamenta seu azar afirmando: “Depois de tanta bosta que ela soltou na minha mão, foi justo agora que ela botou”. Eu tinha seis anos e chorei de rir por que alguém tinha acabado de dizer “bosta” na televisão.

Raul Cortez e sua bad trip sinistra

Novela: Mulheres de Areia (1993)

Raul Cortez interpretava Virgílio, vice-prefeito de Pontal D’Areia e dono do maior hotel da cidade. Ele fica muito puto quando o prefeito Breno (Daniel Dantas) proíbe banhos de mar devido à poluição das águas. Virgílio inicia então uma campanha de difamação, espalhando espantalhos pelas praias usando roupas semelhantes a do prefeito, demonstrando que ele estava espantando turistas da cidade. Esta traição política provoca alguma coisa estranha na cabeça de Virgílio, que começa a ter alucinações. Remorso? Senilidade? Flashbacks de épocas mais caóticas? Eu não sei, mas dê uma olhada nessa porra.



Puta merda, isso ainda é assustador. Um espantalho perseguindo você por todo lugar. Imagine ver isso com seis anos. Pode apostar que eu não fui mijar de madrugada na noite que passaram esse capítulo. Sem brincadeira você ta lá de boa, olha pro lado na janela e AHHHHHH.


Eu vou estar nos seus sonhos. Eternamente

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Argumentos criativos do mundo pornográfico (O que é preciso para que eles baixem as calças?)

Eu cresci em uma época em que um catálogo da Avon era o bastante pra satisfazer as urgências de um garoto na puberdade. Ter acesso a uma fita VHS com algum filme pornô dos anos oitenta era uma operação complexa, que envolvia gatunagem, suborno e espionagem. Mas a tecnologia banalizou tudo isso para as novas gerações. Qualquer forma de putaria tradicional se tornou tediosa e hordas de punheteiros demandam por algo novo. Hoje já não há muito mais o que se inventar no mundo da pornografia. Não importa quão absurdo, ridículo ou impraticável seja o seu fetiche, em algum lugar desse infinito caótico chamado internet vai haver um site dedicado a ele.

Sim, isso é um machado

Além disso, existe um número limitado de cavidades no corpo humano e membros/objetos/animais/vegetais/ que podem ser inseridos neles. E no final das contas tudo acaba sempre da mesma maneira.

Com alegria

Então, como atender essa demanda por novidades? Criatividade. Produtores da rede mundial de erotismo tiveram que colocar sua cabeça para funcionar e inventar novas desculpas para fazer homens, mulheres e outras formas vivas tirarem suas roupas e se amarem. Aqui vão algumas das mais curiosas tentativas disso.

Spanking Family

spanking-family.com

O que é?

A primeira novela sobre espancamento na internet. Novos episódios são postados seis vezes por semana. A trama conta a história de Ronald, um caixa de banco que vive com sua empregada de 19 anos, Lívia. Ronald acredita ter uma grande responsabilidade na construção do caráter da jovem, por isso espanca a bunda dela com chinelos, varas e qualquer objeto que esteja à mão. Ele aceita tudo de bom grado. A namorada de Ron, Vicky, se esforça para entender essa relação, sendo eventualmente espancada na bunda. Existe uma série de personagens secundários que aparecem ao longo da série. Eles espancam bundas ou tem as suas espancadas.

Ron & Lívia

Impressões

Primeiro de tudo, eu me senti enganado por esse site. Não é uma produção original, são vídeos russos legendados em inglês. Nem dá pra saber se a história é a mesma contata pelo site. Como uma experiência em dramaturgia, apesar de alguns pontos altos, a história e personagens não se aprofundam tanto quanto poderiam. A minha cena preferida é uma que Ron explica para Vicky que pode ser um pouco severo com Lívia, mas que o faz para o bem dela. Ai Lívia aparece pelada e senta-se à mesa com o casal. Um longo silêncio se segue. É quase artístico.

Mas o argumento do site, criar um pano de fundo coerente para que os espancamentos ocorram, não é respeitado. Em algum momento a trama parece ter sido abandonada e as bundas espancadas randomicamente. Spanking Family tentou criar algo novo para o mundo pornô, mas não esteve a altura do desafio.

Watching My Mom Go Black

www.watchingmymomgoblack.com

O que é?

Explora o conceito de MILF e sexo inter-racial. Também explora o voyeurismo edipiano, conceito que eu acabei de inventar. Basicamente todos os vídeos contam a história de um garoto branco que fica em débito com gangsters negros. Para compensar o vacilo, a mãe dos rapazes se entrega carnalmente a um ou mais dos bandidões e força o filho a assistir a festa, pra aprender a lição.

A lição é: não apresente um cara bem dotado pra biscate da sua mãe

Impressões

Doentio. Eu quero dizer, é a coisa mais racista que eu já vi. Todos os negros em cena são meliantes, faladores de gíria com inteligência limitada. E não são muito bons em seu trabalho. Se cada vez que um branquelo fica devendo na boca, o sujeito perdoa tudo enrabando a piranha da mãe dele, de onde ele vai tirar seu lucro? Não parece fazer sentido. O argumento talvez funcionasse por um episodio, mas em todos? Ok, caras, vocês tem um conceito original em mãos, mas poderiam expandir um pouco mais. Deve haver outras formas de fazer um dona de casa trepar alegremente com um negro enquanto o filho assiste e chora.

Pornstar IQ

www.pornstariq.com

O que é?

Estrelas pornôs participam de um jogo de perguntas e respostas. É uma versão strip-tease do Show do Milhão. A cada resposta errada, elas tiram uma peça de roupa. Se você pensar bem, é ótimo que não aconteça isso no Show do Milhão.

Impressões

A idéia é ótima, os resultados são irritantes. Eu não quero criticar a inteligência de ninguém, mas não foram precisas muitas perguntas pra deixar todas as candidatas nuas, o que pode dar a impressão errada de que todas as atrizes pornôs são retardadas. Asian Carrera é atriz pornô e tem um QI gigantesco, mas provavelmente isso não seria interessante para a proposta do site. Se elas não forem idiotas, não tem nudez, mas ai que está o problema. Eu não sei quanto aos outros, mas burrice pra mim é bem broxante e no final das contas não importa quão bons sejam os peitos da mina, tudo que eu consigo pensar é na idiotice dela por não saber que os Estados Unidos têm uma capital. Eu não disse que ela não sabe QUAL e sim que ela não SABE QUE TEM UMA CAPITAL.

Ultimate Surrender

www.ultimatesurrender.com/

O que é?

Mulheres disputam um campeonato de luta greco-romana usando biquínis. Durante a luta elas acabam nuas. Além das pontuações por golpe executado, são contados pontos por outras ações, por exemplo, introdução de mãos nas genitálias. Ao final da luta a vencedora enraba a perdedora com uma cinta.

Impressões

Esse aqui é realmente uma sacada boa. Pense bem, qual é a parte boa de luta de mulheres na lama? As mulheres se engalfinhando. A parte ruim? A lama que atrapalha a visibilidade. Então por que não tirar a sujeira do meio e ficar com que há de bom? As lutas parecem bem realistas e competitivas, embora algumas garotas parecem estar mais interessadas na putaria toda. Eu vi algumas delas sorrirem ao serem anunciadas perdedoras. Algumas lutas têm a presença de platéia, que às vezes participa da putaria propriamente dita. É uma puta zona doida e sem muitos precedentes. O que eu posso dizer? Parabéns pelo trabalho.

São todas vencedoras

Porn Loser

www.pornloser.com

O que é?

Mostra as aventuras de um sujeito armado com uma câmera e a vontade de viver como um ator pornô. O lance que ele é um zé bosta qualquer, de pinto pequeno e barrigudo. Ele nunca mostra o rosto e ele mesmo grava suas trepadas, com qualquer garota que se sujeite a participar.

Impressões

Eu não sei se nada disso é verdade, mas se for, esse cara é um gênio. Ok, as garotas passam a maior parte do tempo bocejando e rindo do pau dele. Mas e aí, no fim do dia ele é dono de um site em que pessoas pagam pra vê-lo comendo gostosas. Esse mano levou um espírito de pioneirismo para o mundo da pornografia que nunca existiu antes. Do it yourself é o que esse site diz a uma geração de cabaços trancafiados em seus quartos, limpando os dedos com papel higiênico e desperdiçando suas vidas com as calças abaixadas na frente de um computador. Porn Loser, o herói marginal do pornô.


quarta-feira, 10 de março de 2010

Momentos Marcantes de ‘Glamour e Boca do Lixo’ (Que Não Estão No Livro)

Após ter feito parte da elaboração de um livro sobre um tema tão relevante, profundo e honesto quanto “Glamour e Boca do Lixo” eu esperava estar agora dando grandes entrevistas, assinando contratos com editoras e enchendo meu rabo de dinheiro.

A vida de um jornalista na cabeça de Ricardo Casarin

Bem, como nada disso aconteceu, vou deixar de lado qualquer senso de ridículo, me embebedar no meu narcisismo e contar por conta própria alguns momentos marcantes da feitura desta grande obra jornalística.

Por que porra eu fiz isso?

Eu e mais dois amigos estávamos fazendo o reconhecimento de algumas boates e entramos no Cine Globo, que fica na Avenida Ipiranga. Lá você paga oito reais para entrar e tem direito a beber um copo de refrigerante ou um de vinho. Mas não qualquer refrigerante, e sim um Sinbad de abacaxi quente. E se você achou isso horrível, acredite essa era a melhor opção. Meus dois amigos tomaram o refrigerante e eu, claro, bebi o vinho. Dizer que aquilo parecia pus filtrado por um saco de lixo derretido não faria jus ao gosto que eu senti. Mas tudo bem, essa foi a parte mais tranqüila. O que aquilo fez com minha cabeça e estomago é que foi o problema. Então lá estou eu, em um cinema escuro, contemplando uma centena de cadeiras quebradas e tentando decifrar por que eu achei que beber aquele vinho seria uma boa idéia, enquanto meus amigos entrevistavam uma garota de programa, colhiam dados e basicamente faziam todo o trabalho sem minha ajuda. Então... valeu caras.

Sai daí! Para com essas idéia errada!

No último andar do Edifício Andradas 69, um grande puteiro vertical, há um banco de madeira. Após subir 11 andares de escada eu achei que seria razoável sentar ali, mas uma garota de programa chamou minha atenção: “Senta ai não fio, ai é só pras meninas. Não vai querer que alguém pense que você ta fazendo programa, né?”. Eu ri, mas ela disse que não era piada. “O que tem de homem que gosta disso aqui, ainda mais você novinho...” e em seguida contou-me alguns causos sobre momentos de fraqueza de alguns clientes, propostas de orgias bissexuais e sujeitos que poderiam aceitar esse tipo de trabalho free-lance. Eu nunca mais cheguei perto daquele banco de novo.

O pior detetive da história

Eu estava no Parque da Luz, observando a movimentação das prostitutas, quando vi um senhor abordar uma mulher. Eu não tinha certeza se ela estava fazendo programa, por isso resolvi seguir o casal para ver se eles iriam até algum motel. Foi então que eu me revelei ser um grande incompetente nessa tarefa. Eu não soube administrar direito meu ritmo de caminhada, tive que parar varias vezes, algumas delas fazendo algo ridículo como encostar num poste ou simplesmente olhar para o alto e coçar a cabeça. Não demorou muito para eles tomarem conhecimento de mim. Se eram apenas um casal ou uma senhora atendendo seu cliente, eu nunca vou saber, pois eu resolvi abortar a missão após os dois entraram num mercadinho enquanto olhavam desconfiados para mim. Fracasso total.

Puta merda! Um apocalipse zumbi!

Andando pelas ruas do Centro, no meio da noite, eu e meus amigos percebemos uma estranha aglomeração de pessoas. Nós começamos a especular sobre o que seria aquilo, um forró, uma quermesse ou a saída de uma igreja. Então nós decidimos ver por nós mesmos. Por cerca de 100 metros nós caminhamos em meio a uma concentração de algo em torno de 250 viciados em crack. Ver aqueles verdadeiros farrapos humanos lambendo o chão em busca de migalhas de crack e se chafurdando no lixo a procura qualquer coisa para trocar por mais pedra foi uma experiência sem explicação. Eu olhei nos olhos de um sujeito e tive certeza que ele não era capaz de me ver. Ninguém tomou conhecimento da gente. Crack não é uma droga, é uma arma de destruição em massa.

Oh, mas que surpresa agradável!

Mas vamos animar o papo um pouco. O centro não é só selvageria, insanidade e políticas públicas obscenas. Também há vida lá. E às vezes você pode se surpreender e perceber que em frente ao Andradas 69 há uma feira aos domingos. E uma feira foda, com caldo de cana, flores e bugigangas. Eu mesmo me tornei cliente da barraquinha de pastéis. Eles são deliciosos, especialmente se são 6 da matina e você está voltando de uma balada e a larica está acabando com sua vida. Veja só que tremendo programa: comer um pastel, tomar um caldo de cana e fazer um pouco de amor. Tudo isso por 30 reais.

O que? Não leu ainda? Ficou curioso pra saber dessa putaria toda né?

http://glamourebocadolixo.blogspot.com/

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Guia de sobrevivência para micaretas

Desfiles, bailes, orgias... Existem muitas opções do que se fazer no carnaval, de acordo com seus gostos e possibilidades econômicas. Ano passado eu participei do carnaval de São Luis do Paraitinga e aquele pareceu ser o tipo ideal para mim: blocos de rua, marchinhas com letras incompreensíveis, cidade pequena e botecos baratos. Mas a falta de dinheiro e a ira do próprio Deus em pessoa impediram que eu repetisse de opção em 2010 e fui obrigado a escolher por uma viagem mais acessível: o carnaval de Cerquilho.

Não me levem a mal, eu estava satisfeito com isso, mas é que o estilo deste carnaval me deixou um pouco inseguro. O que acontece lá é algo semelhante a uma micareta, você sabe, trios elétricos, música ruim, abadás e gente suada que pode se utilizar de truculência para te agredir ou para te amar.

É. Isso aí

Porém, minha experiência foi bem sucedida e agora ofereço algumas dicas para você que pode acabar perdido num role desses. Seguindo esse manual você não apenas conseguirá divertir, como também irá evitar DST’s e lesões corporais graves.

Música: Relaxe e deixe seu lado trash aflorar

Ok, é um item muito óbvio, mas vale a pena reforçar: a música que toca por aqui é horrível, muito ruim mesmo, puta que pariu. Pense na seqüencia Claudia Leite, Chiclete com Banana, Inimigos da HP, algum funk de putaria aleatório, Inimigos da HP tocando cover de Mamonas Assassinas e Ivete Sangalo. Agora pense nesse playlist sendo repetindo milhares de vezes pela noite toda. É isso que você vai ouvir. Mas não deixe seu senso critico arruinar sua diversão. Invente coreografias patéticas, faça paródias engraçadinhas das letras e deixe o que há pior de você em termos musicais emergir e aproveitar a balada. Talvez você dê sorte e ouça algum pagodão anos 90 ou a Macarena e se divirta pra valer. Para facilitar o processo, recorra a ele, o álcool. O que nos leva ao nosso próximo item.

Bebidas: Pechinche e aposte nas pingas de metro

A minha estratégia para arruinar a sobriedade era a seguinte. Chegar ao carnaval de rua com um drink preparado em casa, no caso um podrão numa garrafa de Gatorade (podrão = Pinga + Tang + água). Garrafa esvaziada, as opções de compra no local eram 2 latas de cerveja por 5 reais, vodka com energético por 5 reais e as famosas pinga de metro, 2 por cinco reais. As pingas de metro são comumente associadas a micaretas e a gente de camisa regata, mas eu acho isso muito injusto. É uma forma bem decente e divertida de se intoxicar. Eu não sou médico nem nada, mas algo em prender a respiração e sugar cachaça colorida pra dentro do seu organismo faz com que o “grau” chegue mais rápido. Uma dica importante: Sempre tente pechinchar, principalmente no final da noite. Nessas horas é quase certeza que vai dar certo, os vendedores vão estar loucos pra se livrar da mercadoria.

Pegação: Um retorno aos tempos neolíticos

Sim, esse é um ambiente de promiscuidade. Promiscuidade em série, eu diria. Ao beijar alguém, saiba que você estará beijando nove pessoas por tabela. Isso é um fato cientifico. O excesso de pessoas no mesmo lugar, o calor, suor e a ebulição hormonal tornam o ambiente propício para pegadas relâmpagos, abusos sexuais e nenhuma, nem mesmo remotamente, troca de idéias interessante. São os tempos das cavernas de volta! Se você é mulher, prepare-se para ser puxada, agarrada e descabelada. Se você tiver sorte e encontrar um Romeu, você poderá ser cortejada através de citações inspiradas como: “E ai, tem jeito?” ou “Chega mais”. Se você é homem, bem, prepare-se para puxar, agarrar e descabelar meninas, por que aparentemente, é isso que funciona. Mas cuidado, nesse ritmo frenético você pode acabar apalpando “objetos estranhos” (tipo um pênis... de um homem). Agora, se você namora... que porra você ta fazendo aqui? Retardado.

Brigas: Não banque o herói e se divirta com os imbecis

Este era o item que mais me preocupava. Você pode ter uma certeza sobre um local que acumula centenas de mulheres “acessíveis” e um bando de bombadinhos que amarram bandanas em seus bíceps: pessoas irão brigar, como bisões enfurecidos batendo cabeça sem nenhuma razão lógica pra isso. Eu não sou exatamente um cara forte e também não tenho grandes habilidades marciais. Também não sou muito corajoso e geralmente não estou muito disposto a lutar para justificar meu orgulho macho.

Logicamente, a possibilidade de ficar na mira de um punho anabolizado não me era muito agradável. Mas logo meus medos foram dissipados, por quê: 1° - você realmente tem que provocar alguém pra se meter em confusão, tipo, passar a mão na bunda da namorada de alguém, ou na bunda do próprio cara. 2°- é verdade que tem certos tipos que só estão lá pra brigar e tal, mas eles só o farão se você der algum motivo. Peça desculpas se alguém te empurrar, saia de perto se você ver que a coisa pode ficar feia e não banque o machão, porra! Esses caras andam em bando e são covardes o bastante pra chutar alguém caído no chão.

Dito isso, eu posso assegurar que uma das coisas mais hilárias desse carnaval foi assistir a um bando de neandertais cujos Q.I’s somados não alcançariam três dígitos se digladiando por uma menina que não conseguiria trabalho nem em um vintão da Cracolândia. Isso até chegarem os seguranças e enxerem todos eles de porrada. Garantia de risadas, minha gente.

Bom, acho que essas são as principais dicas que posso dar. Fora isso, siga as regras de etiqueta básicas que você segue em qualquer lugar. Coisas como não urinar em meio a uma multidão, não jogar voleibol com uma camisinha cheia de cerveja próximo a um destacamento da guarda civil, e resistir a tentação de atirar objetos nos otários que ficam em cima dos trios elétricos. Relaxe, aproveite, ignore a voz do bom senso e garanta uma boa diversão.

Ah é, e use camisinha. Isso se você tiver sorte o bastante pra isso, perdedor.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Como as drogas afetam o sexo de acordo com a ciência ( e usuários)

Sexo, drogas e rock’n roll. Assim como você, eu penso exatamente a mesma coisa quando ouça essa frase: “Será que dá pra fazer essas três coisas ao mesmo tempo?”. Bem, vamos deixar a parte mais simples da equação de fora e nos concentrar no lance sexo+drogas e tentar descobrir o que acontece com sua cabecinha pervertida e com suas ferramentas de diversão* quando você fica legalmente chapado.

Para evitar ser influenciado pelos exageros dos “narcóticos anônimos” da vida que dizem que no momento que você traga um baseado você está condenado a virar um lixo humano que paga boquete embaixo da ponte por uma pedra, e também pelos clichês de zé droguinhas de merda que acham um charme injetar morfina nos bagos, vamos cruzar informações entre duas fontes de extrema confiabilidade: o Yahoo answers e o site das Garotas de Programa da Grande BH (não, isso não é uma piada http://www.gpgbh.com.br/drogasesexo.htm:)

* metáfora para genitálias, sacam?

Álcool

O que a medicina diz?

Quando tomada em pequenas quantidades é considerada desinibidora e afrodisíaca. Se tomada em grandes quantidades, embora possa provocar o desejo sexual, ela acaba com o desempenho, pois inibirá a resposta sexual, como a perda da ereção, por exemplo. Com o uso por tempo prolongado, provocará diminuição no desejo, rebaixamento do nível do hormônio testosterona e bloqueio ejaculatório.

O que os usuários dizem?

Mone:

“Um pouco de bebida pode desinibir e deixar a pessoa mais relachada, mas se a quantidade for maior pode prejudicar a relação, pois o nosso corpo passa a funcionar mais lentamente e isso pode interfeir no desempenho sexual, é mais ou menos como beber e dirigir”.

MorenaSC…:

“Bebida deixa a pessoa mais cara-de-pau, estimula o prazer, o desejo, entre ambos!! Com certeza, pelo menos entre eu e meu namorado sim!! Porque já fizemos algumas loucuras sexuais quando estavamos um pouco alcoolizados, e posso te garantir que foi muuuuito bom!!
Bom fim de semana, fica com Deus!!”

fofinha

“Eu adoro um vinho antes me deixa mais desinibida e a vontade claro que ninguém merece transar com um pessoa extremamente alcooliza-da, mais umas taças de vinho antes da relação é miuto bom!”

Então, qual é a real?

Por afrodisíaca entenda “baixa seus níveis de exigência drasticamente”. Desinibir não significa apenas se sentir mais confortável pra conversar com aquela gostosa, significa se tornar mais impulsivo e tomar atitudes que você não tomaria se tivesse condição de pensar não duas, mas uma vez.

No que se diz a performance, assim como em todas as outras drogas que veremos, varia de acordo de quanto você chapou. Bebeu moderadamente, não vai afetar grande coisa, mas convenhamos, quem é que faz isso? Chapou pra valer? Então as coisas podem não ser tão boas. O álcool afeta concentração, coordenação e resposta sexual. Significa que você pode dormir sobre seu parceiro, brochar ou trepar por um longo tempo sem conseguir grandes resultados. Acordar em uma poça de vômito sem saber quem é a pessoa roncando do seu lado também é uma possibilidade.

Cocaína

O que a medicina diz?

Provoca o desejo sexual nas primeiras vezes que é usada, mas geralmente, seguida de depressão. Em forma de pó e aspirada pelas narinas ou injetada, a cocaína com o tempo, acaba com o desejo sexual nas mulheres e compromete a fase do orgasmo. Nos homens, afeta a manutenção da ereção. Pode ocorrer também um efeito contrário, com uma ereção prolongada e muito dolorosa.

O que os usuários dizem?

Anônimo:

“nossa vo ti fala uma coisa....

a mina tem que ser a mulher melancia pá dá tesão...

por que na briza do pó....num dá vontade nem fodendo...”

Euzinha:

Eu sei como eh

o cara BROCHAAAA

MMatthew:

“efeio broxante nao to brincando”

Sharon Stone:

“É louco, mais principalmente pra mulher , agente tem que ter muito cuidados porque sempre tem alguém querendo a proveitar da situação que estamos loucos , pra transarem sem camisinha, então eu falo é bom demais mais tem que usar camisinha.é alucinante até hj não esqueço foi a melhor fodaaa começo no guarujá e terminou na anchieta,.kkkkkkkk

( é o unico que na hora que me ligar eu estou pronta pois foi demais nossaaaaaaa)”

Então, qual é a real?

Essa aqui é bem polêmica. Como você pode ver pelos depoimentos dos nossos colegas, existe uma ala de pessoas que considera o pó um energético físico e mental, e também um turbo sexual.


É, quase isso.

Mas há também aqueles que descrevem a diminuição de potencia em seu órgão sexual com a singela definição de “carne morta”. Talvez, por que ao contrario do que panfletos evangélicos nos querem fazer pensar, os efeitos de qualquer droga não são exatamente os mesmo em todas as pessoas. A cocaína tem uma ação complexa. É estimulante no inicio, mas deprimente após algumas horas. Então, se você vai trepar como uma lebre ou como um panda (pandas não curtem muito o lance, né? É por isso que eles estão em extinção, certo? Eu não consegui pensar em outro exemplo de animal que não curta a brincadeira...) depende da dose que você usou e de como seu corpo vai reagir.

Ecstasy

O que a medicina diz?

Proporciona sensação de bem estar, euforia, e facilidade no relacionamento interpessoal. Apesar da sensação de excitação, acredita-se que pode perturbar a performance sexual.

O que os usuários dizem?

Black Cat:

“Sexo com ecstasy é incrível, mas não diminui o prazer do sexo sóbrio. Não há palavras para descrever sexo com ecstasy, mas não dá pra fazer todos os dias, é muito intenso às vezes”.

Fadi

“Sexo com E é INCRIVELMENTE DELICIOSO. Eu não estou dizendo que E me deixa mais excitado, mas com certeza me faz apreciar o sexo muito mais”.

Vicenzoog01

“Nem tente isso, a não ser que você queira ter uma ereção que dura 6 horas (acredite, começa a doer bastante após 3 horas)”

Então, qual é a real?

O que me surpreendeu na pesquisa foi ver que as pessoas não discutiam se a bala melhora ou piora uma transa, e sim se faz o sexo sóbrio se tornar um tédio pro resto da vida. Então... é, acho que o lance tem alguma mágica.

Esse tipo de mágica

Nem os especialistas sabem dizer quais são os efeitos da droga em longo prazo, por ela ser relativamente nova e de pouco potencial viciante. Então se você a usa com freqüência, parabéns! Você é uma cobaia para o resto de nós. Mas o que sabemos é que os efeitos sensoriais e a euforia produzida tendem aumentam a intensidade da experiência, mas não há algum tipo de ganho de potência. E quanto a essa ereção de 6 horas? Uma palavra: priapismo, cara. Procure um médico.

LSD

Aqui rolou um lance chato. Não existe nada sobre ácidos no site das Garotas de Programa de BH. Parece que viagens alucinógenas não são muito populares na selvagem noite mineira. Por isso tive que recorrer a uma fonte menos segura, um tal de Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas”.

O que a medicina diz?

O usuário de LSD, sob o efeito da droga, tem as sensações centradas no "eu", não dando atenção a nada que não faça parte dele. Assim, caso ocorra um envolvimento sexual, o parceiro passa a ser mero suporte. O usuário não consegue estabelecer um vínculo emocional com seu parceiro.

O que os usuários dizem?

Mo:

“É difícil conseguir uma ereção sob o efeito de ácido, mas se você conseguir uma, você pode transar pra sempre e não ter um orgasmo, como se você não sentisse nada”.

Então, qual é a real?

Como vocês viram, não há muitas aspas sobre o assunto, então há uma certa razão no que diz esse tal de Centro. Aparentemente LSD não é comumente associado com sexo, o que é surpreendente, pois sempre achei que as pessoas gostariam de beijar o céu em meio a uma névoa púrpura enquanto tem orgasmos.

Imagina ver isso com o seu pinto dentro de alguém

Mas novamente, não é tão simples. LSD é uma das drogas mais imprevisíveis e inexplicáveis pela ciência. Ninguém pode dizer se você vai ter uma brisa agradável ou se vai fritar feito Syd Barret, não importa o tamanho de sua dose, nem se é a primeira ou a décima vez que você usa. Fisiologicamente não há nada que te impeça, mas o mais provável é que você prefira refletir sobre a Mãe Gaia embaixo de uma árvore do que tentar ter um orgasmo cósmico.

Maconha

O que a medicina diz?

Usuários costumam sentir maior desejo e o prazer sexual aumentados. Com o uso prolongado diminui os níveis de testosterona e a taxa de espermatozóides. No campo psicológico, acredita-se que o efeito da droga esteja diretamente ligado a expectativa que a pessoa tenha sobre o que vai sentir. Talvez por isso e pela perda de noção de tempo que o usuário de maconha é acometido, faça com que acredite e sinta que o desempenho sexual dele tenha sido melhor e mais prolongado.

O que os usuários dizem?

Lua:

“Eu a usei por 5 anos. e me arrependo muito. o meu ex namo nao tinha muita vontade de tanto que fumava!”

Bauru SP:

“Lá se vão quatro anos e até hoje nada me aconteceu. Mas que inibi a vontade ao sexo isso posso lhe garantir”.

Deconha:

“Maconha não tira vontade de fazer sexo nem deixa brocha. O que pode acontecer é o cara ficar nervoso ou ficar viajando muito e não conseguir ter ereção por motivos psicológicos, principalmente se o cara não tem costume de fumar muito ou ser tímido”.

Então, qual é a real?

Novamente, é mais relativo do que tentam fazer parecer. Algumas pessoas são mais afetadas pela maconha do que outras. Você pode apenas se sentir levemente relaxado ou ficar encarando uma nuvem se desfazendo no céu pela tarde toda. O lance de aumentar o desejo e o prazer é papo furado. É a mesma coisa que o álcool, você fica mais desinibido apenas. Se o efeito for suave, você vai ter uma trepada com sua percepção levemente alterada. Se for pesado, você e seu parceiro têm mais chances de acabar discutindo por horas sobre qual brinquedo era mais legal, lego ou playmobil, do que na cama.

Sobre essa pegada de causar esterilidade... eu não sei, provavelmente decorreria por anos de uso abusivo, eu quero dizer, FUMAR ESSA PORRA TODOD DIA POR UNS 40 ANOS para que algo assim realmente acontecesse. Se eu tenho algum argumento que sustente isso. Bem...

Esse cara teve 11 filhos